Em diversos artigos anteriores, mostramos como o self storage pode ajudar na gestão de estoque das empresas. Porém, não basta ter um bom espaço para armazenamento do inventário, se não houverem boas políticas de organização e logística, em relação ao manuseamento das mercadorias ou insumos.

O fato é que um bom gerenciamento de estoque não apenas faz com que a empresa aumente a sua lucratividade, como também se torne muito mais competitiva em seu nicho de atuação no mercado e garanta a satisfação de seus clientes.

Com base nesse contexto, preparamos este conteúdo para que você conhece as melhores práticas para melhorar a sua gestão de estoque. 

Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Dicas para melhorar a gestão de estoque

Gerenciar o tempo de rotatividade das mercadorias, entender o comportamento de consumo do público do negócio e contar com o auxílio da tecnologia são apenas algumas das medidas que podem otimizar as atividades pertinentes à gestão de estoque de uma empresa.

Entenda o tempo de rotatividade

A rotatividade ou giro de estoque é uma das mais importantes métricas para que os gestores possam mensurar o ritmo de produção ou renovação dos inventários. Afinal, é com base nesse tempo que é possível calcular as quantidades exatas de produtos comercializados e mercadorias que ainda constam nos armazéns da organização.

Existem algumas formas de fazer o cálculo de tempo de rotatividade. Por exemplo, você pode somar a quantidade de itens de cada produto ou os valores acumulados e comercializados. O volume de vendas deve ser dividido pelo volume médio de produtos no inventário em um determinado período.

Essa lógica pode ser aplicada em empresas de qualquer porte, inclusive é muito útil para pequenos empreendedores que desejam mensurar e avaliar a gestão de estoque do negócio. Uma planilha de rotatividade permite também que seja calculada a velocidade de renovação e o tempo médio que cada mercadoria permanece nas prateleiras.

Use a tecnologia

Graças à evolução tecnológica e a facilidade de acesso à internet, hoje em dia qualquer empresa pode contar com o auxílio de sistemas capazes de automatizar os mais diversos processos de uma empresa.

Para o setor logístico, por exemplo, existem softwares desenvolvidos especificamente para a gestão de estoque, como os famosos ERPs. Esse tipo de programa oferece uma infinidade de recursos que facilitam o cotidiano do gerenciamento de inventários.

Para que você tenha uma ideia, é possível integrar as vendas e o estoque em um único banco de dados, de forma que a cada produto que é vendido, o inventário é atualizado em tempo real, entre tantas outras funcionalidades indispensáveis.

Entenda o comportamento do seu consumidor

Ainda com a ajuda da tecnologia, é possível integrar o ERP da empresa a um CRM, isto é, um software de gestão de relacionamento com o cliente. Além de fornecer uma vasta gama de dados cruciais para melhorar o atendimento e o relacionamento com o público do negócio, esse tipo de ferramenta permite que você conheça aprofundadamente o comportamento dos seus consumidores.

Com base nas informações levantadas, é possível prever demandas sazonais, criar promoções e trabalhar com um estoque reduzido, a fim de reduzir as despesas e otimizar as receitas.

Conheça os fluxos de entrada e saída

Por fim, mas não menos importante, é possível melhorar a gestão de estoque ao sistematizá-la por meio de metodologias de controle de fluxo de entradas e saídas. É nesse contexto que o controle financeiro e físico do estoque entram em cena, com a finalidade de gerar dados sobre as quantias disponíveis de cada mercadoria e seu valor financeiro correspondente.

Uma ideia interessante é desenvolver uma tabela com cada itens que integra o estoque da empresa, personalizando-os conforme as necessidades do negócio. Vale destacar que alguns aspectos básicos podem ser incluídos para facilitar os processos, como:

  • nome da mercadoria;
  • preço;
  • quantidade;
  • categoria.

Essas informações serão muito úteis na hora de mostrar quais produtos irão faltar ou sobrar, além de ajudar a conhecer melhor o comportamento de consumo de seus clientes e, é claro, melhorar o seu planejamento e reduzir os prejuízos.

Para concluirmos este artigo, vale a pena destacar que o self storage pode facilitar todos os processos que foram citados sobre gestão de estoque, já que ele pode atuar como uma extensão da área de armazenamento do inventário da empresa.

A melhor parte é que você pode contar com boxes de diversos tamanhos, totalmente personalizáveis e sem se preocupar com um contrato de locação mensal com fidelidade. Ou seja, muito mais segurança e versatilidade para o gerenciamento de estoque sem precisar de investimentos exorbitantes.

As informações que trouxemos neste post sobre como otimizar a gestão de estoque da empresa foram úteis para você? 

Então não deixe de conferir os outros artigos do nosso blog! Trazemos dicas, conteúdos informativos e novidades sobre finanças empresariais para pequenos empreendedores regularmente!

Autor

Márcio Martins

“Comecei no ramo do self storage em 1995 na Kipit, pioneira do Brasil, fundada em 1993. Fui gerente desta mesma empresa entre 1995 e 2017, e assumi a gerência regional do GuardeAqui em março de 2017. Sou formado em administração, com ênfase em marketing e, atualmente, sou responsável pelo departamento GuardeAqui Empresas, na área de carteira de Pessoa Jurídica”

Deixe seu comentário