Desde o começo do ano, as coisas precisaram mudar para que pudéssemos nos adequar às novas formas de trabalhar, estudar e relacionar-nos com nossas famílias e amigos. Essa mudança acabou afetando também os maiores empregadores brasileiros e o setor da saúde acabou disparando na busca por profissionais.

Mas, para além da saúde, outros setores do mercado acabaram ganhando força nos últimos meses e estão precisando ainda mais de colaboradores para auxiliar nas vendas e produção de seus produtos, além da entrega, uma vez que o mercado online vem crescendo ainda mais nesse período de distanciamento. 

Atenção para um ponto importante: a nova rotina de trabalho, principalmente em home office, vem modificando a forma como ocorrem os recrutamentos e quais são as habilidades mais requeridas. 

Rápida adaptação, resiliência e flexibilidade estão entre as competências mais valorizadas, por isso, busque desenvolver esses pontos, além de separar um bom espaço em sua casa para que você possa trabalhar.

Os maiores empregadores no atual momento:

Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho) quase 38% da força de trabalho no planeta foi afetada pelo novo cenário, que vem trazendo a paralisação de alguns setores, fazendo com que os trabalhadores corram o risco de perderem seus empregos. 

E o Brasil já está sentindo os efeitos desta nova adequação da sociedade com as novas formas de comprar e vender produtos e a força que o online vem ganhando. Porém, mesmo com essas preocupações, existem alguns setores que estão se destacando e sendo os maiores empregadores.

Veja a seguir a lista:

Supermercados

Com as pessoas passando mais tempo em casa e as entregas de compras aumentando, os supermercados precisaram aumentar o número de seus funcionários, tanto para lidar com a organização do estoque quanto para realizar o atendimento ao público, seja por delivery ou na loja física.

De acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), no mês de fevereiro, o país teve um aumento de 15,8% nas vendas, em relação ao mesmo período do ano passado. 

Já nas compras online, a pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) mostrou que 61% dos clientes optaram por essa modalidade, devido às restrições de aglomeração. A demanda de alimentos e bebidas para consumo imediato teve crescimento superior a 50% para boa parte das empresas entrevistadas.

É válido que ressaltar que o segmento do varejo de alimentos vem se mostrando bem aquecido nos últimos meses, sendo um dos maiores empregadores brasileiros no momento.

Setor industrial

Com o aumento de demandas no setor hospitalar, áreas que estão ligadas a esse setor vem precisando de mais pessoas, como por exemplo, nos setores de manutenção hospitalar: instalação de ar condicionado e manutenção predial. 

Além desses setores, as indústrias vêm precisando de mais colaboradores, principalmente os fabricantes de produtos hospitalares e produtos de higiene.

E-commerce

Assim como o delivery nos mercados vem crescendo, a busca por lojas online vem aumentando: de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOmm), desde o início de março mais de 135 mil lojas aderiram às online.

As categorias com maior crescimento em vendas foram: Alimentos e Bebidas, com aumento de 294,8%; Instrumentos Musicais, com aumento de 252,4%; Brinquedos, com 241,6%; Eletrônicos, com 169,5% e Cama, Mesa e Banho com aumento de 165,9%

Com isso, houve um aumento na busca por representante comercial, vendedor e consultor de vendas, na modalidade home office. Aliás, essa modalidade vem crescendo cada vez mais no país, não só por conta da crise, mas porque se mostrou muito vantajosa para os empreendedores. 

Segundo uma pesquisa feita pela ISE Business School, 80% dos gestores entrevistados gostaram da ideia do home office e devem mantê-lo após o cenário atual. 

Ou seja, a preparação para uma vaga de emprego será terá mais um elemento: saber lidar com o espaço de casa também sendo seu trabalho, selecionando um espaço e o organizando da melhor forma, para não ter a produtividade afetada. 

Dedicar um espaço especial da casa apenas à realização do seu trabalho será imprescindível, além de mantê-lo sempre limpo, organizado, confortável e sem qualquer tipo de distração que possa tirar o seu foco. 

Construção civil

Segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregos) do governo federal, só no mês de junho o país registrou um saldo positivo de 131 mil vagas. Esse resultado foi considerado o melhor para o mês desde 2012, tendo uma expansão de 14% nas admissões e queda de 2% nas demissões.

O principal destaque fica para o Estado de Minas Gerais que, só na capital, tem o setor da construção civil como um dos maiores empregadores. As empresas responderam pela criação de 2.223 novos postos de trabalho.

O self storage

Como pudemos ver o mercado vem mudando cada vez mais, com isso, os maiores empregadores vem mudando sua forma de organizar seu negócio, principalmente o e-commerce, uma vez que a entrega dos produtos precisa ser ainda mais rápida e eficiente.

Por isso, o investimento em last miles mais estratégicos é um dos processos mais importantes e é neste ponto que entre o self storage como uma solução mais barata e segura para deixar seu estoque, uma vez que se pode escolher boxes mais próximos do destino final. Dessa forma, o período de entrega diminui e é possível fazer ainda mais entregas. 

Além disso, o preço da contratação de um box de self storage poupa uma série de custos, como água, eletricidade, IPTU, condomínio, segurança e portaria. 

Este artigo foi útil para você? Então conheça nosso e veja nossas diversas dicas sobre organização e estoque. 

Autor

Márcio Martins

“Comecei no ramo do self storage em 1995 na Kipit, pioneira do Brasil, fundada em 1993. Fui gerente desta mesma empresa entre 1995 e 2017, e assumi a gerência regional do GuardeAqui em março de 2017. Sou formado em administração, com ênfase em marketing e, atualmente, sou responsável pelo departamento GuardeAqui Empresas, na área de carteira de Pessoa Jurídica”

Deixe seu comentário