Boa parte dos investidores tem uma ideia de negócio, o capital e nada mais. Se você é uma dessas pessoas, já deve ter visto nossas dicas de como utilizar os combos self storage + co-working ou self storage + loja compartilhada. Agora, se você não tem uma ideia nova, mas também quer investir e se tornar o próprio patrão, temos uma sugestão para você: abra uma franquia.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF) o faturamento do setor ultrapassou R$ 174 bilhões em 2018, crescendo cerca de 7% que o ano anterior. A principal vantagem do modelo, para o empreendedor, é que se trata de um negócio já testado e aprovado. Além disso, a regulação garante o apoio da franqueadora, que provê dicas valiosas e treinamento para o sucesso da empreitada.

Engana-se quem pensa que investir em uma franquia exige muito capital. Há um segmento deste mercado, conhecido como franquias baratas ou microfranquias em que o investimento inicial máximo (soma de capital para instalação do negócio, taxa de franquia e capital de giro) é de R$ 90 mil – o valor é atualizado todo ano pela ABF.

Nós elencamos, abaixo, cinco microfranquias com investimento inicial de R$ 4,5 mil a R$ 79 mil. E se você tiver um pouco mais de dinheiro disponível, separamos também uma das franquias que a ABF aponta ter mais potencial de crescimento em 2019, a Piticas Moda Criativa. Em comum, todas elas podem se beneficiar do self storage para armazenamento de bens, tornando o negócio ainda mais inteligente. Confira:

Suporte Smart

Rede de reparos de smartphones e venda de acessórios (como capas), possui cerca de 80 unidades franqueadas. As unidades menores requerem um investimento de até R$ 4,5 mil. Leva de 30 a 45 dias para estar funcionando e o prazo de retorno do investimento é de 3 meses a 6 meses. O faturamento mensal médio de cada unidade é de R$ 5 mil.

Doutor Faz Tudo

Oferece serviço de manutenção de imóveis comerciais e residenciais. Nem precisamos falar que você não vai querer deixar todas as ferramentas do trabalho na sua sala, certo?

O investimento inicial é de R$ 25 mil com retorno esperado entre 12 e 18 meses. O faturamento médio mensal é de R$ 50 mil.

Maria Brasileira

Única empresa de serviços de limpeza, conservação e cuidados domésticos e comerciais a receber o selo de excelência da ABF em 2018, tem mais de 200 unidades espalhadas por 25 Estados.

Com investimento inicial de R$ 56,9 mil e tempo de retorno de 12 meses a 15 meses, promete faturamento mensal médio de R$ 45 mil.

Imaginarium

Com mais de 250 unidades e 400 novos produtos para presente e decoração lançados por ano, demanda investimento inicial de R$ 70 mil. O tempo de retorno é mais amplo do que as demais franquias nessa lista, variando de 6 meses até 3 anos e 4 meses. Como os resultados variam bastante de uma unidade para a outra, a franqueadora não crava um faturamento médio mensal, mas a empresa é uma das que contam com mais selos de excelência da ABF.

NYS Collection

Marca de óculos fundada em Nova Iorque (EUA), em 1.996, conta com cerca de mil unidades distribuídas em mais de 40 países. No Brasil, a franquia custa R$ 79 mil, mas é possível montar um quiosque por R$ 68,5 mil. O tempo de retorno do investimento é de 18 a 30 meses, com faturamento médio mensal na casa dos R$ 40 mil.

Piticas Moda Criativa

Focada em produtos das culturas pop e geek, conta com mais de 300 unidades em operação. O investimento inicial é de R$ 100 mil, sendo que é possível ter um quiosque funcionando em 45 dias e uma loja em 60 dias. O retorno do valor investido vem entre 18 e 24 meses e o faturamento médio mensal varia de R$ 40 mil a R$ 60 mil.

Já falamos aqui no blog sobre a praticidade de contar com a combinação de um escritório co-working e self storage. Mas e se você for lojista? Qual a saída para quem precisa de um espaço para expor e vender produtos?

A solução é um modelo de negócio conhecido com loja colaborativa, que está começando a se disseminar pelo Brasil. Uma loja colaborativa costuma funcionar de forma bastante semelhante ao self storage. Cada empresário aluga um espaço para expor seus produtos e passa a contar com a estrutura do local (espaço e vendedores), sem ter que pagar valores adicionais por luz, água e outros tributos. Uma diferença importante é que enquanto o self storage é uma solução, focada em disponibilizar espaço sobre medida para sua casa ou empresa, nas lojas compartilhadas você está contratando uma estrutura com gerentes e vendedores para anunciar seus produtos e vendê-los ao público.

De forma complementar, enquanto no self storage você só paga pelo aluguel de espaço, sem se preocupar com tributos como IPTU, água, luz etc., nas lojas compartilhadas é possível, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que você seja cobrado também por tributos incidentes sobre os produtos comercializados, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e taxas referentes a meios de pagamento, como o cartão de crédito.

As principais vantagens do modelo, além do custo reduzido, costumam ser:

  • O local da loja, usualmente instaladas em pontos nobres que um pequeno empresário teria dificuldade de bancar sozinho;
  • Custos de divulgação da loja e dos produtos compartilhados;
  • Possibilidade de parceria com outros empresários, complementando o negócio e criando networking; e,
  • Custos compartilhados para contratação e manutenção de funcionários, que irão trabalhar para todas as empresas instaladas no espaço.

Uma tendência nesse mercado é o de lojas que trabalham com foco em um público específico. Por exemplo, lojas focadas em produtos para crianças poderiam alugar espaço para um produtor de calçados, outro de vestuário, um de brinquedos etc.

Claro, com o espaço nobre, mesmo com custo compartilhado, não sobra espaço para dedicar ao estoque. Mas tudo bem, porque você sabe que para isso não há solução melhor que o self storage. Então lembre-se, precisou de espaço, corre pro #CadeadoAmarelo.

 

Fevereiro já começou e você ainda não fez o planejamento de sua empresa para 2019? Ok, você está atrasado, mas calma, não é o fim do mundo. Ainda dá tempo de “colocar ordem na casa” e ter um ótimo ano.

Para te ajudar, fizemos uma lista com 5 passos:

1° Entenda seus pontos fortes e fracos

Se sua empresa já existia em 2018, avalie o ano que passou. É importante entender quais são suas vantagens, mas talvez seja ainda mais vital perceber quais foram seus pontos fracos. Se sua empresa está começando agora, tenha bem definido qual será seu diferencial e mapeie as dificuldades que podem te atrapalhar ao longo do caminho.

Por exemplo, se você está abrindo um e-commerce, gerir os gastos com estoque podem se provar um desafio. É preciso pesquisar locais, preços, condições de pagamento, segurança etc. Deixar os produtos em casa no começo pode até parecer uma boa ideia, mas é bom lembrar que diversos incidentes podem acontecer, desde uma visita que, sem querer, quebra um item até roubos. Além disso, pense no bem-estar da sua família, que não precisa viver rodeada (às vezes “soterrada”) pelos produtos à venda. Claro, o self storage é uma ótima saída.

Para fazer esse diagnóstico, pode ser uma boa ideia fazer uma análise SWOT (sigla em inglês para forças, fraquezas, oportunidades e ameaças). A SBCoaching tem um artigo bastante extenso sobre o tema que pode te ajudar. Uma boa ideia pode ser contar com a ajuda do Sebrae, que também tem cursos sobre o assunto e bastante experiência em apoiar empreendedores.

2° Conheça o calendário

Se você trabalha com comércio, é fundamental conhecer as datas que podem ser exploradas no seu segmento e se preparar para elas. Apenas para dar um exemplo bem conhecido, as lojas iniciam os preparativos para o Natal ao menos dois meses antes.

Novamente, se há necessidade de estoque, pode ser interessante contar com a vantagem de poder mudar o tamanho do espaço locado todo mês, evitando custos fixos elevados e ajustando o valor pago de acordo com a necessidade do momento. O mesmo vale para quem importa produtos de outros países. Um box grande pode ser utilizado ao receber as mercadorias e, todo mês, é possível mudar para um espaço menor e mais barato. Se precisar de ajuda com isso, nossos colaboradores podem explicar esse benefício do modelo de self storage em relação aos galpões logísticos e outros modelos de estoque.

Mesmo para o setor de serviços pode se beneficiar de períodos específicos, como o verão para quem trabalha como guia de viagem, ou os períodos pré-vestibulares, para professores.

3° Controle o tempo

Já que estamos falando de calendário, é fundamental aprender a controlar o tempo. O segredo é ter foco. Procure planejar as tarefas. Um check list é uma ferramenta rudimentar, mas muito poderosa.

Se você for a única pessoa a trabalhar na empresa, lembre-se de separar o tempo pessoal do profissional. Assim como as contas financeiras de pessoa jurídica e física devem ser separas, é preciso buscar um equilíbrio e a divisão para conseguir manter o foco. Ou você corre o risco de ter problemas nas duas frentes.

Se sua empresa tem outros colaboradores, você precisa definir o que é prioridade e se assegurar que todos tenham isso bem claro. Perder tempo com reuniões muito longas ou em excesso, deslocamentos demorados e afazeres que não agregam valor para o produto ou cliente é contraprodutivo. Lembre-se: “o ótimo é inimigo do bom”. Não adianta querer entregar algo incrível se não conseguir cumprir prazos.

Se sua empresa já existia em 2018, lembre-se de olhar para aquela avaliação que mencionamos no começo do post e elencar quais foram as atividades que consumiram mais tempo seu e de sua equipe. Pode ser que você precise investir em capacitação ou contratação para resolver a questão, mas, às vezes, basta delegar a tarefa para uma equipe ao invés de centralizar em uma só pessoa.

4° Corte custos

Provavelmente, sua empresa tem algum custo desnecessário. Ou, ao menos, desnecessário para o momento. Se você está começando, investir em muitas máquinas e licenças de softwares pode não ser uma boa ideia. Normalmente, há softwares de uso livre que permitem que o trabalho seja feito sem ser necessário investir no primeiro momento.

Se você já está investindo em produtos, treinamento e contratação, por exemplo, pode repensar os gastos com espaço. Uma ótima opção é o combo “self storage + co-working”. Para entender melhor, recomendamos a leitura do nosso post “Pensando em começar um negócio?”.

5° Precisou de espaço, corre pro GuardeAqui mais próximo!

Esse não precisa nem explicar, né? Espaço seguro, prático, facilmente acessível e com preço justo é só no #CadeadoAmarelo.

Muitas vezes, a maior dificuldade dos empreendedores não é decidir o que fazer ou como fazer, mas onde fazer! Por muito tempo foi comum ouvirmos histórias de empresas que começaram na garagem, mas, hoje, ou a garagem se resume a uma vaga no subsolo de um prédio (cujo próprio apartamento não é muito espaçoso), ou está ocupada por um carro que a pessoa tem medo de deixar na rua ou ainda por todo tipo de bens que não cabem nos outros cômodos da casa.

Felizmente, temos a solução perfeita para isso! Se sua garagem está cheia de itens que você não usa todo dia, a melhor solução é trazer tudo para uma de nossas unidades. Você não precisa se preocupar com limpeza, dedetização e muito menos segurança. Isso fica por nossa conta.

Agora, se você não tem uma garagem ou qualquer outro cômodo da casa para organizar sua empresa, mesmo depois de usar um self storage para tornar o uso do espaço mais inteligente, está na hora de conhecer os espaços de co-working.

Em nossas unidades contamos com salas de reunião que podem ser utilizadas por nossos clientes, com café, água e wi-fi, sem nenhum custo adicional. Basta agendar o horário de uso. Contudo, há espaços específicos para isso. Os co-working são ambientes pensados para empresas que querem ter toda a estrutura de um escritório, sem o gasto ou a burocracia tradicional. A maior empresa deste tipo no Brasil é a Regus, uma de nossas parceiras. Lá, você pode locar uma sala, ou mesmo uma única mesa em uma sala, e ter um espaço para trabalhar, receber clientes, fazer reuniões etc. Pode ser tudo o que faltava para você começar seu negócio.

Claro, não precisa se preocupar com o espaço para guardar seus produtos, arquivo-morto ou outros bens e ativos. Para isso existe o GuardeAqui. Conte conosco!

O GuardeAqui encerra 2018 com 25 unidades, sendo 24 em operação e uma em desenvolvimento. Nossos projetos para 2019 seguem grandiosos. O plano de expansão prevê R$ 160 milhões em investimentos ao longo do ano, e ao menos seis novas unidades.

Cada unidade deverá receber entre R$ 20 milhões e R$ 25 milhões em investimentos, seja para a aquisição de terreno e construção da unidade ou para a reforma de um espaço que anteriormente era utilizado para outro fim – o que o setor conhece como retrofit. Crescer em São Paulo segue como um dos principais objetivos, mas a grande expectativa é a expansão das atividades para a região Sul do Brasil, sempre seguindo nossa proposta de estar em bairros com elevada densidade demográfica em cidades com mais de 200 mil habitantes.

Outro objetivo de nossos objetivos para o ano que se inicia é aumentar a participação de pessoas físicas, que hoje responde pelo maior número de locações (cerca de 65%), mas por uma área equivalente a locada por pessoas jurídicas, que tendem a locar boxes maiores. Claro, tudo isso sem perder de foco o pequeno empreendedor, que busca o self storage como opção para guardar seu estoque e matéria-prima.

 

Estamos prestes a completar um ano de Brasília, projeto que marcou nossa estreia fora da região Sudeste e também em um formato diferente daquele que operamos normalmente. Trata-se da primeira unidade dentro de um prédio empresarial: ocupamos o 4º subsolo do Centro Empresarial da Cidade, próximo ao Jardim Burle Marx, um empreendimento de padrão AAA. São 530 boxes de 2m² a 30m².

Longe de dificultar o acesso, estar dentro de um prédio até facilita. Todos os clientes podem transitar com seu carro pelos corredores até o box alugado. Igualzinho a um estacionamento. Aliás, esta é a primeira unidade de self storage com esta possibilidade em um centro urbano em todo mundo. O que não muda em relação às outras instalações é a segurança, já que o acesso é feito por códigos e chaves individuais, além de contarmos com vigilância 24 horas.

Reafirmando a importância que o Distrito Federal tem em nosso plano de expansão, em maio deste ano abrimos nossa segunda unidade na capital federal ao adquirir a SelfStok. Com isso, agregamos 400 boxes e um total de 4 mil m².

 

O sistema de auto armazenamento tem sido muito difundido no Brasil nos últimos anos, tanto como opção para quem vai fazer uma reforma e precisa guardar os móveis por um período, quanto para empresas que utilizam o espaço como área de estoque.

O self storage, como o setor também é conhecido, surgiu em 1.889, nos Estados Unidos, mas se popularizou mesmo a partir da década de 1960, como opção para as famílias guardarem coisas que não cabiam mais nos imóveis menores.

Por aqui, os boxes – como os espaços locados são chamados – têm as mais variadas funções. No GuardeAqui, por exemplo, há quem guarde coleção de livros, roupas de inverno, equipamentos musicais e até carros antigos!

Funciona assim: você aluga um espaço privativo e temporário, do tamanho que precisar, paga por 30 dias antecipadamente e pode renovar pelo tempo que quiser. Tudo rápido e sem burocracia. Nem fiador você precisa.

O self storage é guarda-móveis, guarda volumes, guarda documentos, guarda o que você precisar. Tudo em um só lugar, com facilidade e segurança. E você pode acessar quantas vezes quiser durante o horário de funcionamento. Faça um orçamento aqui no nosso site e resolva seu problema de espaço.

 

Muita gente usa o GuardeAqui para guardar objetos pessoais. Mas há também quem utilize os espaços para armazenar estoque da empresa, matéria-prima e até equipamento de trabalho.

Esse é o caso do Ricardo Spinazola, que trabalha com produção de CDs e DVDs. Ele faz montagem e plastificação dos produtos, e deixa tudo armazenado com segurança no GuardeAqui.

Além da própria mídia, Ricardo utiliza o box para guardar a parte gráfica dos trabalhos e as caixinhas de acrílico. Dali, ele leva direto para seus clientes.

Faça como o Ricardo e transforme o GuardeAqui no seu local de estoque. Nós temos o box do tamanho da sua necessidade e pelo tempo que você precisar: os contratos são mensais e sem burocracia. Assinou, começa a usar.

 

 

Buscar referências sérias é sempre a melhor forma de produzir um trabalho o mais rico e completo possível. Não importa a sua área de atividade, conhecer diferentes pontos de vista aumenta o processo de reflexão e estimula a criatividade.

A inspiração vem de toda parte: da arte, da arquitetura, da música e de pessoas que foram bem sucedidas anteriormente no mesmo ramo. E, claro, da leitura de livros bacanas. Pensando nisso, vamos indicar algumas obras que, segundo especialistas, todo empreendedor deveria ler.

Inspire-se nelas, comece ou incremente seu negócio e conte com o GuardeAqui para deixar seu estoque, maquinário e produtos armazenados com praticidade e segurança.

Pense simples, de Gustavo Caetano: o livro traz dicas para começar a empreender e descobrir a importância de se manter leve e ágil para alcançar bons resultados com sua empresa.

Estratégia do Oceano Azul, de W. Chan Kim e Renée Mauborgne: mostra uma nova forma de pensar as estratégias de negócios a partir da criação de novos espaços e oportunidades.

Startup Enxuta, de Eric Ries: é um manual para empreendedores, administradores e líderes empresariais alcançarem bons resultados economizando recursos e tempo.

Negócios Criativos, organizado por Phydia de Athayde: o livro traz um compilado dos 30 negócios mais interessantes já publicados pelo Projeto Draft, um dos mais famosos portais de notícias de empreendedorismo. Inspiração pura.

Marketing 3.0, Philip Kotler, escrito pelo “papa” do marketing, desenvolve um modelo que trata os clientes não como meros consumidores, mas como seres complexos que têm demandado cada vez mais estratégias segmentadas e comprometimento das empresas com os valores de cada indivíduo.

 

Flexibilidade é a palavra que melhor define o GuardeAqui. Tanto na questão da facilidade de locação quanto no tamanho dos boxes para armazenamentos diversos.

Para alugar é muito simples: o contrato é mensal e sem burocracias. Não precisa de fiador ou seguro fiança. É só levar um documento pessoal, escolher o tamanho do box, pagar e pronto: você tem 30 dias para usar. É possível começar a aproveitar o espaço no mesmo dia. Não importa se é uma mudança, objetos de valor sentimental, matéria-prima ou estoque da sua empresa, por exemplo. Dá para guardar de tudo aqui. Olha aí, outra vez a flexibilidade.

No fim dos 30 dias, se você quiser manter o espaço basta pagar por mais 30 dias e assim sucessivamente, até quando precisar. E, se ao final dos 30 dias você precisar aumentar ou diminuir o espaço que usa, tudo bem, nós fazemos o ajuste de acordo com a sua necessidade.

Além disso, você paga somente o custo do espaço. Segurança, energia e IPTU e tudo mais que você teria que pagar se decidisse alugar um galpão ou outro imóvel ficam por nossa conta.

Aliás, se você precisa de um galpão, nós também temos: nossos boxes vão de 2m² a 100m², mas algumas unidades, como Santo Amaro, têm espaços especiais com áreas bem mais amplas.

Acesse www.guardeaqui.com e faça uma simulação para saber o tamanho do box que você precisa.

O GuardeAqui é muito mais que uma guarda móveis, é o maior e melhor self storage do Brasil com mais de 120.000m² de área e 25 unidades pelo país.